Ainda na temática vegetariana: croquetes de tremoço

Há cerca de um mês, ouvi falar d’O Talho Vegetariano, que descobri depois que é uma marca holandesa. Assim que tive oportunidade de passar numa Terra Pura, que vende produtos, fiquei a matutar o que haveria de experimentar… E como adoro croquetes, trouxe os croquetes de tremoço!

Custou-me 6,50€, se não estou em erro. Quando abri e vi que só havia 3 croquetes fiquei um pouco desiludida, mas depois percebi que são croquetes gigantes (pensem num cachorro quente, anda lá perto).

Deixei-os descongelar e só depois os fritei, houve um que se esvaiu um bocado, mas foi nabice minha. Não tem muita ciência para preparar e é rápido.

Confesso que fui um bocado a medo quando provei. Não fazei ideia do que esperar, apesar de gostar de tremoços.

Não estão a compreender. Não me soube a tremoço. Soube-me a um croquete normal, mas como se tivesse queijo, que é coisa que isto NÃO tem, porque é Vegan. Não sei que magia de tempero é que isto leva para me ter sabido a queijo, mas adorei. O exterior é super crocante quando acabado de fritar e o interior maravilhosamente cremoso.

Claro que aquecido no dia a seguir não ficou tão crocante, mas mesmo assim não perdeu tanto a graça como outros fritos que ocasionalmente faço cá em casa.

Fiquei 100% fã destes croquetes, e assim que passe por uma Terra Pura vou buscar mais, e também me irei aventurar nos outros produtos!

A estudar este livro

Que comprei ontem, com 30% na Fnac (fica a 13,16 euros), o “Cozinha Vegetariana para quem quer ser saudável”, da autora Gabriela Oliveira. Havia a versão “para quem quer poupar”, mas não tinha desconto 😛 Pelo que tenho percebido em referências neste livro, a diferença é que a versão “Para Poupar” ensina a fazer os ingredientes base deste livro, como o nosso próprio tofu, seitan, etc.

Ainda não li o livro todo, mas tenho marcado imensas receitas. São coisas simples, mas que têm óptimo aspecto. E há já algum tempo que quero reduzir a carne que consumo, por isso estou entusiasmada em pôr em prática algumas destas receitas.

Todas as receitas que já marquei como interessantes – podem ver que está a ser a loucura
Exemplo de umas sopas com óptimo aspecto e que pretendo experimentar ASAP. E a minha unha ali em baixo.

Recomendo a quem queira experimentar cozinha vegetariana. Hoje em dia, conseguimos arranjar muito boas receitas na Internet de forma gratuita, mas, honestamente, não há nada como um bom livro português que nos guie pelas bases de cada tipo de cozinha e com ingredientes que estejam facilmente ao dispôr no mercado português!

Granolas há muitas, mas esta é mesmo boa

Há cerca de 2 meses larguei finalmente o Chocapic ao pequeno almoço – sim, aos 27 anos ainda gosto da malga de Chocapic com leite logo ao acordar – e comecei a comer iogurte grego natural com granola.

Quer dizer, o Mr. IT é que estava na granola à séria. A minha variante é um pseudo muesli da Área Viva do Continente, com frutos vermelhos, que é boa mas tem muito açúcar. Andava a investigar alternativas há algum tempo.

No outro dia fui ao supermercado do El Corte Inglés, ao qual já não ia há anos, e vi imensa variedade de granolas. Trouxe uma um bocado ao calhas, porque estava sob pressão, da Lizi’s com Maçã Rosa e Canela.

Isto é orgásmico. Fica óptimo com iogurte grego, é saborosa sem ser extremamente doce. A única desvantagem é que me custou 12€ por 400g (quando o preço original são £3.65, rica margem de lucro hã, Corte Inglés?). Mas acho que, depois disto, não consigo voltar ao muesli ranhoso que estava a comer antes.