A minha saga com “leite” vegetal

Há já uns meses que iniciei a minha saga para ficar mais próxima de ser vegetariana, e ultimamente tenho feito o esforço extra para ficar mais próxima de ser vegan, ou seja, remover os lacticínios e ovos da minha alimentação.

Amo leite. Amo queijo. Isto não é algo que seja fácil para mim. Especialmente quando todos os leites de soja e afins que tinha experimentado não me sabiam bem, de todo. Todos super doces, o de soja em particular com uma textura meia oleosa, não suportava. O Mr. IT consome o light da Alpro, que acho que já é menos doce que o normal, mas mesmo assim não consigo beber aquilo.

Um dia, perguntei a um colega do trabalho, que é vegan, que tipos de “leite” é que ele bebia, e o meu problema com as bebidas super doces. Ele falou-me então do leite de amêndoa sem açúcar da Alpro, que tem um sabor tostado.

Comprei uma embalagem para experimentar. Ao início detestei. Parecia-me super aguado, e o sabor era estranho.

Entretanto percebi que a Alpro tem também o leite de soja em versão sem açúcar. Comprei também para experimentar. Gostei mais que o de amêndoa, e comecei a beber ao pequeno almoço com flocos, alternando com o de amêndoa, que tinha de gastar.

Passam-se umas semanas, e eis que agora aprecio ambas as variantes de igual forma com os meus flocos – as almofadas All Bran de chocolate, que não são vegan, mas não dá para ser tudo de uma vez! Ao menos já consegui largar o sacana do Chocapic.

Portanto, se por acaso tiverem o meu problema com o leite de soja normal, experimentem estas versões sem açúcar. Já não bebo leite de vaca há coisa de um mês.

A minha saga com o queijo será para um outro post!

Deixar uma resposta