Universidade e o Mimimi

Acabo de ler um artigo na Visão que me fez muita espécie:
captura-de-tela-2016-10-26-14-03-13

Podem ler o artigo na íntegra aqui.

Felizmente, alguém conseguiu escrever exactamente aquilo que penso, mas por palavras mais simpáticas:

captura-de-tela-2016-10-26-14-03-28

captura-de-tela-2016-10-26-14-03-35

Subscrevo tudo o que é dito neste comentário, e acrescento:

Fica três décimas aquém da média do último classificado e culpa o Governo. WTF?

O sistema de avaliação é o que é, estão todos sujeitos ao mesmo. Se não conseguiu, tem três hipóteses:

  • tentar novamente para o ano
  • desistir
  • ir tentar a sorte noutro sítio.

Para quê estar a chorar e a pôr as culpas para cima de outros pelo seu falhanço?

Faz-me lembrar as manifs da geração à rasca, que estavam em voga na altura em que eu própria estava a tirar o curso, e havia muita malta que se ia queixar e estava em cursos que tinham ZERO saída, mesmo muito antes de terem iniciado os estudos na área.

A esses apetecia-me apenas dar-lhes uma chapada para acordarem para a vida. “Ah, mas é o curso dos meus sonhos”. Certo, e se querem seguir em frente com isso, toda a força. Agora, por amor da Santa, não vão lamentar-se que não têm emprego no final, porque isso era algo que já sabiam logo à cabeça. Querem seguir os sonhos, assumam responsabilidades por isso (ter um plano B, por exemplo), ou fiquem cientes à partida que vão ter de emigrar.

Chorar na praça pública que as coisas que correm mal na sua vida são culpa dos outros é algo que me deixa mesmo muito irritada, e este caso da carta aberta da aspirante a estudante de Medicina foi outro desses casos.

2 thoughts on “Universidade e o Mimimi

  1. Além de culpar o governo por não ter tido média ela fez pior..
    Porque ela teve média, mas não para a faculdade que queria! Com 17,8 entrava na Covilhã, mas achou melhor sair do país e queixar-se!
    Não percebi mesmo como uma aluna com uma média tão boa teve uma ideia de carta tão infeliz 😱

Deixar uma resposta