Lisboa-Porto de avião: a Miss IT opina

Ainda há pessoas que se admiram quando lhes digo que já não ando de comboio há uns 2 anos, e que só 2 vezes por ano é que devo ir de carro para cima.

“MAS NÃO DEMORAS IMENSO TEMPO NO AEROPORTO?” “NÃO É MAIS CARO?”

Filhinhos, deixem-se de coisas. Passo a enumerar alguns pontos da minha experiência enquanto cliente frequente da rota da Ryanair.

Preços

  • Já consegui viagens a 6€, ida e volta (3€ cada uma), numa mega promoção no ano passado. Estas promoções são mais raras, e tem de se ir logo na abertura da promoção, senão não há horários bons.
  • O preço mais simpático e menos raro de se arranjar anda em 20€ ida e volta. Comprei agora uma viagem para Fevereiro a este preço.
  • Mais normal anda nos 30€, em que fica mais caro o voo da Sexta-feira à noite.

Tempos

  • Resumidamente, existem as seguintes fases e que envolvem espera pela fase seguinte: chegar ao aeroporto e passar o raio-x, fila de embarque, fila para entrar no avião, descolagem, voo, aterragem, desembarque.
  • O tempo de voo em si é de 35 a 40 minutos. É o tempo de subir, estar 10 minutos em modo cruzeiro, e voltar a descer.
  • As portas “fecham” meia hora antes da hora de partida no bilhete. “Fecham”, porque já me aconteceu estar a começar o embarque à hora a que o avião é suposto sair.
  • Nos bilhetes consta que a viagem dura 1h. Não é verdade, é apenas uma margem para os embarques. Geralmente, chega-se ou à hora prevista ou antes da hora.
  • O que eu costumo fazer é chegar entre 30 e 40 minutos antes da hora de fecho das portas, para dar tempo de passar no raio-x tranquilamente.
  • O embarque é o que costuma demorar mais tempo. A fila forma-se e temos que esperar que comecem a embarcar pessoas; depois é esperar que se consiga efectivamente entrar para o avião; por fim, esperar que toda a gente entre no avião para se descolar. O tempo de embarque varia, já tive dias em que desde que me pus na fila até estar no avião demorei 40 minutos, outras em que demorou mais que 1h.

Logística de malas

  • Como deverão saber, líquidos e afins são limitados na bagagem de cabine. Implica que se acabou comida da mãezinha, regra geral. Excepto bolinhos, isso continuo a trazer.
  • Por amor da santa, quando forem viajar, levem os líquidos e portáteis/tablets à mão quando estiverem para passar no raio-x. Cada vez que uma pessoa tem de estripar a mala toda para chegar aos líquidos, empata a fila toda, apetece-me dar-lhe uma cabeçada por me estar a atrasar, e faz perder o tempo dos funcionários. Costumo ter sempre essas coisas no topo da mala / na mala de mão, para o processo ser rápido para mim e para os outros.
  • Para levar uma mala no porão, paga-se um extra. Eu nunca levei bagagem de porão em low cost, portanto não sei como é que se processa.
  • As primeiras 90 pessoas (ou 99, não tenho a certeza) na fila do embarque podem garantidamente levar a bagagem na cabine. Isto traduz-se em, se chegarem mais tarde à fila de embarque, a vossa mala vai ser mandada para o porão, sem pagar mais por isso. Tem só o inconveniente de terem de esperar pela mala na chegada.
  • Há uns tempos, a Ryanair só permitia um volume de bagagem, mas há já uns tempos que permite uma mala de mão de senhora e uma mala de cabine, desde que estejam nas dimensões regulamentadas. Esta situação originou o ponto acima, em que não cabem todas as malas na cabine.
  • O que fiz recentemente (prenda de Natal) foi arranjar uma mala de viagem da Longchamp, compactada (este modelo em particular dá para expandir para baixo). Consideram-na uma mala de mão de senhora, e portanto nunca vai para o porão! Levo-a sempre debaixo do assento da frente, na cabine, e para sair do avião é só pegar na mala. Facilitou-me muito a vida.

longchamp_travel_bag_le_pliage_1911089556_0

Trambiques nos aeroportos – Lisboa

Post original aqui
Post original aqui
  • O Terminal 2 de Lisboa é horroroso. Na fotografia acima ainda estava numa fase inicial, agora tem muitos mais bancos. Mas o arzinho de armazém do Ikea mantém-se, e a logística tem manhas.
  • Quando indicam a porta de embarque, já a fila se formou há muito tempo, porque já indicaram nos ecrãs da própria porta que iam embarcar o voo X.
  • O que costumo fazer é, quando começa a chegar a hora do meu voo, observo a movimentação nas portas de embarque. Quando arrastam o cartaz de organização da fila da Ryanair para a frente de uma determinada porta, e não havendo mais nenhum voo da Ryanair em vias de partir antes do meu, é quase certo que o embarque que vão fazer naquela porta é para o meu voo. Nessa altura vêem-me a disparar em direcção à porta, para pelo menos ficar próxima quando a fila se começar a formar.
  • A fila em Lisboa forma-se LOGO. Mal o cartaz da Ryanair é posto no sítio, as pessoas começam a ir para a fila. Não dá hipótese, se se distraem 1 minuto, quando olharem outra vez já vai estar o fim do mundo de fila.
2013-12-05-14-37-07
O mítico cartaz da bagagem. Em frente à porta de embarque vai estar sempre uma coisa destas.
  • No embarque em Lisboa, tenho a fase de fila antes de mostrar o bilhete, a fase em que ficamos todos ao monte ainda dentro do Terminal mas depois da porta, a fase em que abrem a porta lá para fora mas ainda não vamos lá para fora, e por fim a fase em que vamos lá para fora, para irmos para o avião.
  • Na aterragem em Lisboa, o avião pára no Terminal 2, mas os passageiros apanham autocarro para irem para o Terminal 1. Depois disso, segue-se aquilo a que eu chamo a Maratona do Aeroporto, pois temos que atravessar o aeroporto até chegarmos à saída. Não sei qual é a distância, mas havendo pressa para apanhar boleia é chato.

Trambiques nos aeroportos – Porto

  • No aeroporto do Porto a experiência em geral é um bocado mais agradável.
  • Ao aterrar, não há a componente de autocarro como em Lisboa, é só sair do avião, andar 1 minuto e já se está dentro do aeroporto.
  • Também se anda um bocado até se chegar à saída do aeroporto, mas a distância é menor da do aeroporto de Lisboa, e com menos escadas para subir e descer. Quando se está com uma mala de N kgs ao ombro ou na mão, isso conta,
  • Caso a mala vá para o porão, no Porto as malas costumam ir rápido ao tapete, nunca esperei mais de 10 minutos pela minha bagagem.
  • No aeroporto do Porto, os cartazes dizem a que horas vão anunciar a porta de embarque. É porreiro, porque assim sei quando tempo tenho para ir ver lojas ou comer qualquer coisa até anunciarem a porta.
  • A porta é anunciada, mas a fila só se costuma formar já bastante depois disso. Há sempre ou um outro chico esperto que deixa lá a sua mala a guardar lugar enquanto estão comodamente sentados, mas regra geral as pessoas ficam sentadas até se juntarem mais de 5 pessoas na fila.
  • O embarque no Porto tem as fases: fila de embarque, espera lá fora, entrar no avião.
  • A espera lá fora não é assim tão má, porque existem bancos para grávidas, idosos e afins, e a passagem está bem protegida do vento e da chuva. Mesmo quando está frio, não é o horror, apesar de não ser 100% confortável. Especialmente tendo em conta que, em Lisboa, não existem bancos para ninguém nestas fases.

Os meus bitaites

  • Existem três horários nesta rota: manhã/madrugada, almoço, noite.
  • Apanhar o voo da madrugada Porto-Lisboa para ir trabalhar a seguir foi a pior experiência de sempre, que só fiz uma vez para aproveitar a promoção dos 3 euros. Tive de acordar às 4h30 da manhã para chegar a Lisboa, e só tive tempo de ir a casa mudar de roupa e pôr alguma maquilhagem, e mesmo assim parecia morta viva. Nunca mais faço este horário, a menos que não vá trabalhar nesse dia.
  • Antes apanhava o voo de Domingo à noite. Aproveita-se muito mais o fim de semana, sem dúvida! Mas nesse horário chego já depois das 23h a casa, e prefiro ter tempo de arrumar tudo e deixar a minha vida orientada. Passei então a ir no voo da hora do almoço, que chega a Lisboa às 15h, que ainda me deixa a tarde toda para aproveitar do fim de semana, e geralmente tenho também mais facilidade em encontrar voos baratos para esse horário.
  • Os tempos mortos de espera pelo embarque são o mais chato, e faço por levar sempre um livro comigo para ajudar a passar o tempo. O voo em si é um instante, não preciso de me entreter com nada.
  • Os melhores lugares são os da fila 33. São mais acanhados que os outros, mas são os melhores para entrar e sair do avião rapidamente e sem ter de esperar que muita gente desembarque.

Comparações com CP, ou os argumentos que me costumam apresentar

  • No Alfa Pendular, segunda classe e nos horários normais de quem trabalha, paga-se em média 60€, ida e volta. Há pessoas que não têm noção da diferença de preços, estamos a falar de 1 viagem CP custar o mesmo que 3 viagens na Ryanair. Já aconteceu pagar mais de táxi em Lisboa do que pela viagem de avião.
  • “Ó Miss IT, mas no Alfa Pendular claro que é caro!” Verdade, mas quando vou de fim de semana a casa não me apetece gastar metade do tempo útil do mesmo enfiada num comboio. O mesmo se aplica a autocarros!
  • “Ah, com o tempo que se espera no embarque chego mais depressa de comboio!”. A viagem de Alfa demora 3h30. Durante 2 anos fiz estas viagens de comboio, e conto pelos dedos as vezes em que o Alfa de Sexta ao fim do dia não se atrasou mais de 40 minutos só porque sim, totalizando mais de 4h de viagem. Na viagem deste domingo de avião, cheguei ao aeroporto do Porto às 13h e estava a sair do aeroporto de Lisboa às 15h10, mesmo depois da maratona.
  • “Ah mas é mais chato ter de ir para a Portela”. Olha porra, apanhem um Uber!
  • “Mas assim não posso trazer coisas de lá de cima”. A vida é assim, não se pode ter tudo.

Sou mais que fã desta rota da Ryanair. Sempre achei os preços das viagens na CP um roubo, especialmente quando as condições não são assim tão boas, e as horas de viagem eram um inferno para mim, porque sentia que se ia metade do meu fim de semana enfiada no comboio. De avião é muito mais rápido, e depois de se apanhar as manhas para optimizar o processo não se quer outra coisa.

Não comparo aqui Avião VS Carro, da mesma forma como não comparo em geral Comboio VS Carro – o carro é um transporte privado em que fazemos o que queremos, nos outros casos não.

Deixar uma resposta