Ode à Lunette (post potencialmente nojento)

Meti o aviso já no título para não ferir susceptibilidades.

Lunette-coloured-cups

Uso a Lunette, um copo menstrual, está em vias de fazer 3 anos. Se não sabem o que é, dêem uma vista de olhos no link, eu vou passar à frente essa introdução.

Este mês, decidi voltar aos pensos higiénicos, para ser diferente. E é a última vez nos próximos tempos, porque a experiência só me fez lembrar quão melhor é o meu período com a Lunette.

  1. O meu fluxo não é muito pesado, portanto esvaziar a Lunette de manhã e quando chego a casa depois do trabalho é mais que suficiente.
  2. Posso usar a noite toda sem haver potencial drama de roupa suja de manhã.
  3. Está sempre tudo seco. O pior de voltar a usar penso foi mesmo a parte de sentir a zona permanentemente húmida, já que o fluxo ainda tem de passar, digamos, barreiras até chegar ao penso e ser absorvido.
  4. O raio dos pensos continuam a ser desconfortáveis como um raio de usar, irra.

Nestes 4 pontos, a Lunette ganha aos tampões no aspecto de poder usar durante a noite toda sem risco de infecção e, no meu caso, por não haver processo de substituição durante o dia.

Tudo isto sem considerar os pontos do lixo que não se produz e dinheiro que se poupa ao converter ao copo menstrual.

Houve uma altura em que esvaziava a Lunette à hora de almoço também, mas eram tempos em que tinha um bidé à disposição para passar por água. Depois a chiqueza acabou e apercebi-me que não tinha essa necessidade, e minimizava problemas de mau posicionamento.

Mau posicionamento esse que é o que eu considero a desvantagem da Lunette: mesmo ao fim de 3 anos, às vezes não a encaixo bem à primeira, o que origina o que eu chamo “Abertura dos portões do Inferno”, vulgo vazamento. Não é fixe!

Em relação a marcas, honestamente comprei a marca Lunette porque na altura não havia outra opção no mercado. Comprei numa farmácia a versão transparente, e posso dizer desde já: não se incomodem com as mariquices de cores e afins, que passado uns anos o copo vai estar manchado. O manchar é normal, e não implica que o copo esteja inutilizável.

5 thoughts on “Ode à Lunette (post potencialmente nojento)

  1. Eu nunca me ajeitei muito com tampões.. Só mesmo com pensos higiénicos mas já tive vontade de experimentar esse copo.. Quem sabe se um dia destes não o compro mesmo..

    1. Uma coisa que não mencionei no post é que o copo é complicado de colocar, nas primeiras vezes, até se apanhar o jeito. O volume que entra é maior do que o volume de um tampão normal, tem isso em atenção!

      1. Pois.. Por isso é que tenho receio. Mas vá, agora vou sou sincera sobre os tampões. Tentei colocá-los quando comecei a precisar dessas coisas (o que com o meu Kallmann só aconteceu quase aos 18 anos).
        Não me ajeitei e desisti, NUNCA mais tentei :s
        Agora que ando sempre aflita com os pensos (para não me esquecer de os comprar) é uma boa altura para experimentar o copo e insistir.. Porque de facto é super prático 😉
        [por enquanto não preciso de nada, porque sem medicação não menstruo, e por causa do tratamento de setembro desde agosto que não há mr Red pra ninguém. Mas qq dia vou comprar a medicação que tomava (tipo pílula mas não contracetiva) e estou a pensar seriamente comprar logo o copo também 🙂 hehe]

        1. A vantagem que o copo tem face aos tampões é que dá para molhar para ajudar a entrar… os tampões são mais chatos nesse aspecto. Mesmo antes do copo, usava tampões poucas vezes porque também não me ajeitava.

          Depois, se comprares, diz como correu!

          1. Ok 😉 Eu tou mesmo com ideias de comprar. Mas tenho de comprar a medicação para lhe poder dar utilidade (que isto de não vir nada desde agosto tem a vantagem da despreocupação mas faz-me um mal desgraçado :s)

Deixar uma resposta