Entretanto, a minha situação laboral

Já tenho a minha carta de demissão entregue e assinada pelos chefes – e a suspeita que o CEO não me vai mais dirigir palavra até ao final da minha colaboração na empresa.

Do outro lado, já há alguma pressão para começar a ver coisas em casa e a fazer mini tarefas. Dizem que me pagam as horas que trabalhar, e para lhes dar um preço. Eu nunca fiz freelancing na vida, o que é que lhes digo?

Ah, e o clássico momento unicórnio! Quando o sócio da empresa que trata das finanças me conheceu ontem, ao início não percebeu que eu era a nova pessoa de IT com quem tinha trocado emails. Quando se apercebeu, “Ah tu é que és a Miss IT?”, com aquele ar de espanto disfarçado que já aprendi a interpretar como “mas não tens ar de nerd!”. Mas não foi desagradável nem fez comentários parvos, como me aconteceu no meu actual local de trabalho.

Deixar uma resposta