A saga da ML Bolsas – parte 2

Não conformada com a resposta que tive ontem à noite, decidi comentar o post de Facebook onde a ML Bolsas anunciava os 20 a 50% de desconto em alguma das suas lojas, onde estava incluída a do Colombo.

A resposta que tive foi que sim, essa promoção aplicava-se a todos os produtos.

Percebi que a confusão só iria ser resolvida na loja, e lá fui eu.

Chego à loja, vejo as duas cores que pretendo, e pergunto a uma das empregadas a loja pelo desconto naquele modelo. Ficou sem saber responder-me, e lá foi perguntar à superior.

E eis que começo a ouvir zaragata (falarem alto), com coisas do género “Michael Kors não está incluído” e “vamos ver a mensagem”.

Vêm as duas senhoras ao pé de de mim, e a superior pede-me para mostrar a mensagem. Enquanto estou à procura do post no telefone, começa a superior a dizer algo do género:

“Ah, que a garota recebeu a mensagem mas temos de ver as especificidades!”

Deixei passar a primeira vez, mas à segunda utilização do garota (quando mostrei a mensagem e disse “pois, a mensagem da garota é diferente da nossa”), perguntei:

“Desculpe, mas está a chamar-me garota?”

“Sim. Não é nova ainda? Não é uma senhora, é uma garota.”

Eu respondi: “sou nova assim, mas daí a garota parece-me um pouco excessivo.”

Deixei o assunto aí.

Agora, reflictam comigo. Fui só eu a achar um bocado falta de educação? A senhora andou comigo na escola para me chamar garota, que interpreto da mesma forma como miúda? Miúda chama-me o meu pai. Geralmente usa-se o “Menina” para mulheres não casadas ou novas. Fiquei um bocado irritada, mas confesso que já o estava com toda a confusão do desconto.

Adiante. A timeline é a seguinte:

  1. Que não haveria desconto na Michael Kors.
  2. Depois de verem a mensagem, o desconto seria de 10% no máximo, que a Michael Kors não costuma querer descontos nos seus produtos – não obstante de eu lhes ter mostrado o esclarecimento que me foi prestado, que dizia que o desconto era mínimo de 20% em tudo.
  3. Mais 5 minutos de telefone, e afinal o desconto era de 20%.

Por acaso queria muito a mala, e estava disposta a comprá-la naquele momento, porque este atendimento deixou muito a desejar e em circunstâncias normais teria desistido da compra. Acredito que o meu caso tenha sido uma excepção, mas não deixa de ser a minha experiência.

Tudo isto para dizer que larguei os cordões à bolsa e tenho agora a fabulosa Riley em minha posse. Vou tirar umas fotografias mais jeitosas e mostro num próximo post 🙂

Deixar uma resposta